sábado, 10 de julho de 2010

Jovens de Nobre Estirpe

Élder L. Tom Perry
Quórum dos Doze Apóstolos

A única alegria e felicidade duradoura que encontrarão durante a experiência mortal será fruto de seguirem o Salvador.


Todos os anos, tiramos férias com a família e vamos para o Lago Bear. É uma semana empolgante em que tenho a oportunidade de conhecer melhor os meus netos. Nos últimos anos, ouvi-os falar de suas oportunidades e obstáculos. Eles falam-me a respeito da crescente pressão que é estar no mundo sem ser do mundo. O cinema, a televisão, a Internet, as roupas da moda, os estilos extravagantes, as atividades inadequadas ao dia do Senhor, etc. aumentam o efeito das tentações que enfrentam. Além do mais, a pressão dos amigos leva à difícil decisão entre fazer o que a maioria está fazendo ou defender os princípios ensinados pelos convertidos e dedicados pais e a Igreja.

Este ano, decidi ser um pouco mais incisivo em meus conselhos a meus netos. Eu queria dar-lhes uma base para que resistissem às tentações e se desenvolvessem no complexo mundo de hoje. Nossas férias no lago duram quatro dias, assim decidi comprar uma pasta para cada um deles e inserir um tópico de discussão para cada dia. Para cada assunto havia algumas referências de escrituras e citações, que deveriam ser utilizadas para iniciar discussões proveitosas entre as gerações.

No primeiro dia, as discussões não despertaram muito interesse, mas a cada dia parecia haver mais participação. A experiência teve tanto sucesso que hoje eu gostaria de fazer de conta que sou o avô de todos os jovens que estão me ouvindo para ver se conseguimos estimular algumas discussões importantes em casa com seus pais.

1º Tópico: Gratidão pela Terra em que vivemos. Durante uma das primeiras conferências da Igreja, realizada em 2 de janeiro de 1831, o Senhor, por meio de revelação, deu ao Profeta Joseph Smith a visão de como Ele preza a Terra que criou para Seus filhos. Em Doutrina e Convênios 38:17­20, lemos:

"E fiz rica a Terra e eis que é o meu escabelo; portanto sobre ela tornarei a ficar de pé.

E agora vos ofereço e considero apropriado dar-vos maiores riquezas, sim, uma terra de promissão, uma terra que mana leite e mel, sobre a qual não haverá maldição quando o Senhor vier;

E dá-la-ei a vós, como terra de vossa herança, se a buscardes de todo o coração.

E este será meu convênio convosco: Vós a recebereis como terra de vossa herança e como herança de vossos filhos para sempre, enquanto a Terra durar; e tornareis a possuí-la na eternidade, para não mais passar."

O Senhor abençoou-nos com terras de promissão para que as desfrutássemos durante nossa provação mortal. Se as nações da Terra seguissem o caminho do Senhor continuamente, seriam uma bênção para Seus filhos aqui. De vocês jovens filhos e filhas especiais de Deus, Ele certamente espera que sejam gratos pelas ricas bênçãos que têm recebido Dele.

Com as bênçãos, obviamente, vêm as responsabilidades. Espera-se que demonstremos submissão a reis, presidentes, governantes e magistrados e obedeçamos, honremos e mantenhamos a lei. (Ver Regras de Fé 1:12.) Para obedecer, honrar e manter a lei, precisamos conhecê-la e vivê-la. Devemos ser bons cidadãos na Igreja, na escola, na comunidade. Devemos estar preparados para dar nossa contribuição prestando serviço ao próximo.

A melhor maneira que conheço para dar uma contribuição ao país em que vivemos é estarmos preparados para o futuro. O Senhor prometeu que se estivermos preparados, não precisaremos temer. Se nos esforçarmos para adquirir o máximo de instrução a nosso alcance, estaremos em melhores condições de ser auto-suficientes, e não ser um fardo para a sociedade em que vivemos.

Li no jornal algumas semanas atrás sobre a relação entre salário e grau de instrução. A diferença entre os ganhos de alguém que não se formou no curso secundário e alguém que se formou é de 38%. Entre uma pessoa que concluiu o curso secundário e outra que freqüentou parte de um curso superior, o aumento é de 20%, e entre quem tem diploma de curso secundário e quem tem diploma universitário, o aumento é de 56%. É, a educação realmente compensa. Nunca é cedo demais para determinar a direção que vocês desejam tomar em sua preparação. Não esperem até a hora de fazer a matrícula na faculdade para decidirem o que querem estudar. É um desperdício de tempo e dinheiro dedicar-se a uma área de estudos sem ter uma meta definida.

2º Tópico: Auto-estima. No oitavo salmo de Davi, ele deu-nos uma visão do que somos e de nossas oportunidades eternas. Disse ele:

"Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra, pois puseste a tua glória sobre os céus! ( . . . )

Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste;

Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites?

Pois pouco menor o fizeste do que os anjos, e de glória e de honra o coroaste.

Fazes com que ele tenha domínio sobre as obras das tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés: ( . . . )

Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome sobre toda a terra!" (Salmos 8:1, 3­6, 9)

Já se imaginaram alguma vez como um anjo menor coroado de honra e glória? Todos os filhos do nosso Pai Celestial são de grande valor à Sua vista. Se o Senhor vê grandeza em vocês, então de que forma vocês devem ver a si mesmos? Todos fomos abençoados com muitos talentos e habilidades. Alguns foram abençoados com o talento de cantar, outros de pintar, de falar, de dançar, de criar belos objetos com as mãos e outros de prestar serviço solidário. Certas pessoas podem ter muitos desses talentos, outras, só alguns. Não importa o tamanho ou a quantidade, e sim o esforço que fazemos para desenvolver os talentos e as habilidades que recebemos. Vocês não estão competindo com outras pessoas. Estão competindo apenas consigo mesmos, para fazer o melhor com o que quer que tenham recebido. Cada talento desenvolvido será de grande valia e lhes dará um formidável sentimento de satisfação e realização no decorrer da vida.

O dom quase universal que todos podemos desenvolver é o de uma atitude agradável, um temperamento tranqüilo. Isso lhes abrirá mais portas e trará mais oportunidades do que qualquer outra característica que eu consiga lembrar.

Lembrem-se também da promessa do Senhor relativa ao cuidado de nosso corpo físico. Se o mantivermos limpo, nutrindo-o corretamente, tendo o repouso adequado, encontraremos "sabedoria e grandes tesouros de conhecimento, sim, tesouros ocultos". Nós "[correremos] e não [nos cansaremos], [caminharemos] e não [desfaleceremos]". (D&C 89:19­20)

Acima de tudo, devemos viver com esperança. No livro de Éter, no Livro de Mórmon, Morôni lembrou-nos:

"E também me lembro de que tu disseste haver preparado para o homem uma casa, sim, entre as mansões de teu Pai, na qual o homem pode ter uma esperança mais excelente; portanto o homem deve ter esperança; caso contrário não poderá receber uma herança no lugar que tu preparaste." (Éter 12:32)

Vivam com a esperança de que poderão conquistar, aperfeiçoar e desenvolver os grandiosos dons que o nosso Pai Celestial lhes concedeu e um dia "receber uma herança" entre as mansões do Pai.

3º Tópico: Amor à família. As palavras que o Profeta Joseph Smith registrou da extraordinária visita que recebeu do anjo Morôni na noite de 21 de setembro de 1823 incluem uma promessa especial feita às famílias:

"Eis que vos revelarei o Sacerdócio pela mão de Elias, o profeta, antes da vinda do grande e terrível dia do Senhor.

E ele plantará no coração dos filhos as promessas feitas aos pais e o coração dos filhos voltar-se-á para seus pais.

Se assim não fosse, toda a Terra seria completamente destruída na sua vinda." (D&C 2:1­3)

Essa grandiosa visão dada ao Profeta Joseph Smith reestabeleceu a doutrina das unidades familiares eternas. A família eterna é algo central no evangelho de nosso Salvador. Não haveria razão para Ele retornar à Terra para governar e dirigir Seu reino a menos que a unidade familiar eterna fosse estabelecida para os filhos do Pai Celestial. Quando entendemos o papel eterno da família, a formação e o fortalecimento de laços familiares sólidos assumem um significado ainda maior.

Acompanhei com grande interesse a chegada de mais uma neta à nossa família. Percebi a formação de um vínculo instantâneo entre ela e seus dois irmãos. Eles seguravam-na com grande cuidado, amor e carinho.

É muito importante que aprendam a valorizar o significado de pertencer a uma família eterna. Lembrem-se: vocês fazem parte de uma unidade eterna que exige o máximo de seu empenho. Tenham certeza de contribuir com cordialidade, bondade, compreensão, consideração e muito amor à sua família eterna.

O último tópico que incluí na pasta tinha como título "Amor a Deus". Nas revelações que o Profeta Joseph Smith recebeu em 1831, lemos:

"Portanto dou-lhes um mandamento que diz assim: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de todo o teu poder, mente e força; e em nome de Jesus Cristo servi-lo-ás." (D&C 59:5)

O Senhor usou o coração como forma de descrever a natureza mais íntima de Seus filhos. As escrituras estão repletas de referências ao coração, tais como puro de coração, abundância no coração, coração feliz e assim por diante. Em I Samuel, lemos:

"( . . . ) Porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração." (I Samuel 16:7)

Temos no coração um sentimento de gratidão e devoção ao Pai? Somos unos de coração com Ele a quem devemos tudo? O teste de nossa devoção ao Senhor parece ser a maneira pela qual O servimos.

Temos bem fixado na alma o desejo de ser livres. O Senhor sabia disso quando nos concedeu a provação mortal. Com essa liberdade, contudo, vem a responsabilidade. Somos instruídos a não desperdiçar nosso tempo nem enterrar nosso talento, sem usá-lo. É esperado de nós que tornemos nossa vida melhor por meio de nossa própria iniciativa e nossos esforços. Cabe a nós desenvolver nossa relação com nosso Pai Eterno. Precisamos adquirir nosso próprio testemunho. Precisamos decidir se vamos moldar nossa vida pelos padrões do Senhor. Precisamos escolher como Josué quando disse: "Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor". (Josué 24:15)

Li recentemente um artigo que afirmava que se os empregadores não contratarem hoje jovens brilhantes na faixa dos dezesseis anos, com seu aguçado entendimento e sensibilidade para a tecnologia, sua empresa estará ultrapassada na próxima década. Que idade maravilhosa vocês estão vivendo. Junto com o aumento de suas oportunidades, contudo, vem o desafio de permanecerem perto do Senhor e serem obedientes à Sua lei. Essa é a forma de se conservarem fortes e capazes de resistir às inúmeras pressões do mundo.

A última folha da pasta que presenteei a meus netos continha meu testemunho pessoal da veracidade do evangelho de nosso Senhor e Salvador. Deixo meu testemunho com cada um de vocês, jovens maravilhosos, de que sei que Deus vive e guia Sua obra entre Seus filhos aqui na Terra. Sei que Ele enviou Seu Filho ao mundo como sacrifício expiatório por toda a humanidade, e os que abraçarem Seu evangelho e O seguirem terão a vida eterna, o maior dom que Deus concedeu a Seus filhos. Sei que Ele dirigiu a restauração do evangelho aqui na Terra por meio do ministério do Profeta Joseph Smith. Sei que a única alegria e felicidade duradoura que encontrarão durante a experiência mortal será fruto de seguirem o Salvador, obedecerem Sua lei e guardarem Seus mandamentos. Esse é meu testemunho a vocês, que são jovens excelentes, em nome de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário