quarta-feira, 21 de julho de 2010

Nosso Dever Sagrado de Honrar as Mulheres

Élder Russell M. Nelson
Quórum dos Doze Apóstolos

Agradeçam ao Senhor por essas irmãs que nos amam, como o Pai Celestial, não somente pelo que somos, mas pelo que podemos ser.

Élder Russell M. Nelson. É uma alegria estar com vocês esta noite, irmãos, e é maravilhoso ver tantos rapazes com os pais. Estamos reunidos devido ao nosso desejo de escutar os líderes da Igreja. Mas esta congregação é única. Não vejo mães aqui, mas nenhum de nós poderia estar neste lugar sem uma mãe; contudo estamos todos aqui, sem nossa mãe.

Vim a esta reunião com um filho, genros e netos. Onde estão as mães? Reunidas na cozinha de nossa casa! O que estão fazendo? Assando várias fornadas de pãezinhos! Quando voltarmos para casa, teremos um delicioso lanche à nossa espera! Enquanto comermos, essas mães, irmãs e filhas ouvirão atentamente relatarmos as coisas que aprendemos aqui esta noite. É uma boa tradição familiar, simbolizando que tudo o que aprendemos e fazemos como portadores do sacerdócio deve abençoar nossa família.1

Falemos sobre nossas irmãs, essas mulheres dignas e maravilhosas, principalmente nossa mãe, e ponderemos nosso sagrado dever de honrá-las.

Quando eu era um jovem estudante universitário, um de nossos colegas implorou a alguns de nós, seus amigos da Igreja, que doassem sangue à sua mãe que estava com uma forte hemorragia. Fomos diretamente ao hospital para verificar nosso tipo sangüíneo e fazer alguns testes. Nunca esquecerei o choque que tivemos quando nos disseram que um dos doadores em potencial não estava apto a doar sangue por ser portador de uma doença venérea. O sangue infectado era o do rapaz que nos pedira a doação! Felizmente, sua mãe sobreviveu, mas jamais esquecerei a tristeza que aquele jovem sentiu e como foi duradoura. Teve que carregar a culpa de saber que sua imoralidade o impedira de prestar o auxílio necessário à mãe e aumentara sua tristeza. Aprendi uma grande lição: se alguém desonra os mandamentos de Deus, desonra a mãe e se alguém desonra a mãe, desonra os mandamentos de Deus.2

HONRAR A MATERNIDADE

Durante minha carreira profissional como médico, perguntaram-me algumas vezes por que eu havia escolhido um trabalho tão difícil. Respondi, dando minha opinião de que o mais importante e nobre trabalho desta vida é o trabalho de uma mãe. Como eu não dispunha dessa opção, pensei que cuidar dos doentes era o que mais se aproximava disso. Tentei cuidar dos meus pacientes com o mesmo carinho e competência com que minha mãe cuidou de mim.

Há muitos anos, a Primeira Presidência fez uma declaração que exerceu uma profunda e duradoura influência em minha vida. "A maternidade está a um passo da divindade. É o mais alto e sagrado serviço a ser realizado pela humanidade. Ela coloca a mulher que honra seu santo chamado e serviço ao lado dos anjos."3

Como as mães são essenciais ao grande plano de felicidade de Deus, seu santo trabalho enfrenta a oposição de Satanás, que deseja destruir a família e degradar o valor das mulheres.

Vocês, jovens, precisam saber que dificilmente conseguirão atingir seu mais alto potencial sem a influência de mulheres de bem, especialmente de sua mãe, e em poucos anos, de uma boa esposa. Aprendam agora a mostrar respeito e gratidão. Lembrem-se de que sua mãe é sua mãe. Ela não precisa dar ordens. Seu desejo, sua esperança, sua sugestão, devem servir-lhes de guia e vocês devem honrá-los. Agradeçam a ela e mostrem-lhe seu amor. Se ela estiver tentando criá-los sem o pai, é mais um motivo para honrá-la.

A influência de sua mãe irá abençoá-los por toda a vida, principalmente quando forem missionários. Há muitos anos, o Élder Frank Croft serviu no Estado do Alabama. Enquanto pregava o evangelho, foi capturado por uma gang de viciados para ser chicoteado nas costas. Mandaram que o Élder Croft tirasse o casaco e a camisa antes de ser amarrado a uma árvore. Ao fazê-lo, uma carta que recebera recentemente da mãe caiu de seu bolso. O desprezível líder da gang apanhou a carta. O Élder Croft fechou os olhos e orou silenciosamente. O ofensor, então, leu a carta da mãe do Élder Croft. Citarei um trecho:

"Meu amado filho, ( . . . ) lembre-se das palavras do Salvador quando disse: ( . . . ) 'Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.' Lembre-se também do Salvador na cruz que, enquanto sofria pelos pecados do mundo, proferiu estas palavras imortais: 'Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.' Com certeza, meu filho, aqueles que o estão maltratando ( . . . ) não sabem o que fazem ou não o fariam. Algum dia, em algum lugar, eles entenderão e sentirão vergonha do ato que praticaram e honrarão você pelo glorioso trabalho que está fazendo. Então, seja paciente, meu filho; ame os que o maltratam e dizem todo mal contra você, pois o Senhor o abençoará e magnificará. ( . . . ) Lembre-se também, meu filho, de que sua mãe ora por você dia e noite."

Enquanto aquele homem odioso lia a carta era observado pelo Élder Croft, lia uma ou duas linhas, depois, sentava-se e ponderava. O homem levantou-se, aproximou-se do prisioneiro e disse: "Companheiro, você deve ter uma mãe maravilhosa. Sabe, eu também tive uma." Depois, dirigindo-se à gang disse: "Homens, depois de ler a carta dessa mãe mórmon, simplesmente não posso ir em frente com isso. Talvez seja melhor soltá-lo". O Élder Croft foi solto sem um arranhão sequer.4

Somos imensamente gratos pelas mães e pais fiéis de nossos missionários maravilhosos. O amor que têm aos filhos é sublime.

HONRAR AS IRMÃS

Nós que possuímos o santo sacerdócio temos o sagrado dever de honrar as irmãs. Somos suficientemente crescidos para saber que é errado irritá-las. Nós respeitamos as irmãs, não somente em nossa família, mas todas as irmãs maravilhosas de nossa vida. Como filhas de Deus, o potencial delas é divino. Sem elas, a vida eterna seria impossível. Nossa grande preocupação por elas deveria ser fruto de nosso amor a Deus e da consciência do nobre papel que desempenham em Seu grande eterno plano.

Portanto, admoesto-os com relação à pornografia. Ela degrada as mulheres; é maléfica, contagiosa, destrutiva e viciante. O corpo possui meios de purificar-se dos efeitos nocivos de bebidas e alimentos contaminados, mas não pode vomitar o veneno da pornografia. Uma vez registrada, estará sempre sujeita à lembrança, emitindo flashes de imagens pervertidas na mente, com poder para desviá-los das coisas saudáveis da vida. Evitem-na como se fosse uma praga!

HONRAR A ESPOSA

Vocês, que ainda não são casados; pensem no futuro casamento. Escolham bem sua companheira. Lembrem-se das escrituras que ensinam a importância do casamento no templo:

"Na glória celestial há três céus ou graus;

E para obter o mais elevado, um homem precisa entrar nesta ordem do sacerdócio [que significa o novo e eterno convênio do casamento];

E se não o fizer, não poderá obtê-lo."5

As mais elevadas ordenanças da casa do Senhor são dadas ao marido e à mulher juntos e igualmente, do contrário, nada recebem!

Voltando ao passado, acho que o dia mais importante de minha vida foi o dia em que minha querida Dantzel e eu nos casamos no templo santo. Sem ela, eu não poderia receber as mais elevadas e duradouras bênçãos do sacerdócio. Sem ela, eu não seria o pai de nossos filhos maravilhosos e avô de nossos preciosos netos.

Como pais, nosso amor pela mãe de nossos filhos deve ser ilimitado. Devemos dar a ela a gratidão, o respeito e o louvor que ela merece. Maridos, para manter vivo o romance em seu casamento, tenham consideração por sua mulher e sejam bondosos com ela na terna intimidade de sua vida conjugal. Que seus pensamentos e ações inspirem confiança e fé. Que sua linguagem seja limpa e o tempo que passam juntos, edificante. Não deixem que nada na vida tenha prioridade sobre sua esposa -- nem seu trabalho, seu lazer ou hobby.

O casamento ideal constitui-se de uma verdadeira parceria entre duas pessoas imperfeitas, cada um tentando complementar o outro, guardar os mandamentos e fazer a vontade do Senhor.

OS PAIS PRESIDEM A FAMÍLIA COM AMOR

A família é a unidade mais importante da sociedade e da Igreja. É ordenada por Deus e é a parte central de Seu plano para o destino eterno de Seus filhos.6 "Deus estabeleceu as famílias para proporcionar alegria a Seus filhos, para permitir que aprendam princípios corretos numa atmosfera de amor e para prepará-los para a vida eterna."7

Os pais têm a responsabilidade pelo bem-estar dos filhos.8 A Igreja não substitui a responsabilidade dos pais. Idealmente, a família SUD é presidida por um homem digno que seja portador do sacerdócio. Essa autoridade patriarcal tem sido honrada pelo povo de Deus em todas as dispensações. Sua origem é divina e essa união, quando selada pela autoridade adequada, continuará por toda a eternidade. Aquele que é Pai de todos nós e a fonte dessa autoridade ordena que o governo do lar seja feito com amor e retidão.9

Vocês, pais, podem ajudar a lavar os pratos, a cuidar de um bebê que chora e a trocar uma fralda, e que tal se num domingo desses, aprontassem as crianças e sua mulher fosse para o carro e ficasse buzinando.

"Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela."10 Com esse tipo de amor, irmãos, seremos maridos e pais melhores, líderes mais amorosos e espirituais. Será mais provável conseguir a felicidade no lar se as ações das pessoas estiverem alicerçadas nos ensinamentos de Jesus Cristo.11 A responsabilidade de garantir que a oração familiar, o estudo das escrituras e a noite familiar sejam feitos é nossa. A responsabilidade de preparar nossos filhos para receberem as ordenanças da salvação e exaltação e as bênçãos prometidas aos que pagam o dízimo também é nossa. É nosso privilégio dar bênçãos do sacerdócio, (de cura, consolo e orientação).

O lar é um grande laboratório de amor. Nele os ingredientes químicos puros do egoísmo e da cobiça são derretidos no cadinho da cooperação para produzir a genuína solicitude e amor de uns pelos outros.12

Honrem as irmãs que tenham um papel importante em sua vida, irmãos. Demonstrem o amor que têm à sua mulher, sua mãe e irmãs. Louvem-nas pela paciência com que os tratam, mesmo quando vocês não estão se comportando como deveriam. Agradeçam ao Senhor por essas irmãs que nos amam, como o Pai Celestial, não somente pelo que somos, mas pelo que podemos ser. Humildemente agradeço a Deus por minha mãe, minhas irmãs, minhas filhas, minhas netas e por minha terna e querida companheira e amiga: minha mulher!

Que o Senhor nos abençoe para que honremos cada mulher virtuosa, eu oro em nome de Jesus Cristo. Amém.

NOTAS

1. Ver D&C 23:3.
2. Muitas escrituras ensinam-nos a honrar nossos pais. Ver Ex. 20:12; Deut. 5:16; Mat. 15:4; 19:19; Marcos 7:10; 10:19; Lucas 18:20; Efésios 6:2; 1 Né. 17:55; Mosias 13:20; TJS Mateus 19:19; TJS Marcos 7:12.
3. Conforme citado em A Liahona, janeiro 1998, p. 36. [James R. Clark, comp., Messages of the First Presidency of The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints, 6 vols., (1965­1975), 6:178.] Em 1935, a Primeira Presidência declarou: "O verdadeiro espírito de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias concede à mulher a mais elevada posição de honra na vida humana." (Messages of the First Presidency, 6:5)
4. Ver Arthur M. Richardson, The Life and Ministry of John Morgan (1965), pp. 267­268.
5. D&C 131:1­3.
6. Ver "A Família: Proclamação ao Mundo", A Liahona, janeiro 1996, p.114, parágrafos 1 e 7.
7. Guia da Família, iv.
8. Ver D&C 68:25­28.
9. Ver D&C 121:41­45.10. Efésios 5:25.
11. A Liahona, janeiro 1996, p. 114.
12. Ver Mosias 4:14­15; D&C 68:25­31.

Nenhum comentário:

Postar um comentário