sábado, 7 de agosto de 2010

Uma Vez Membros, Sempre Membros

Élder Charles Didier - Presidente da Área Brasil (Dezembro/2008)

Élder Charles Didier

Acabamos de assistir à Conferência Geral, no momento em que escrevo esta mensagem, e sei que algumas pessoas devem estar-se perguntando por que as Autoridades Gerais insistem em falar as mesmas coisas, de conferência em conferência. Mas a conferência geral é um lembrete ao mundo sobre o valor inestimável dos profetas e apóstolos vivos. Para os fiéis santos dos últimos dias espalhados em vários lugares, é a ocasião de, com humildade e firme propósito, deixar de lado as coisas do mundo e ouvir as novas escrituras que nos vêm do Senhor por meio de Seus ungidos.

Um dos profetas modernos, Spencer W. Kimball, disse: “Os profetas dizem as mesmas coisas porque nos defrontamos basicamente com os mesmos problemas. A solução para esses problemas não mudou. De que adiantaria um farol, se gerasse sinais diferentes para cada navio que se aproximasse do porto? Ou, de que adiantaria um guia que, nas montanhas, conhecendo a rota segura para descer, conduzisse aqueles sob sua responsabilidade por caminhos imprevisíveis e perigosos, dos quais nenhum viajante retornasse?” (CR, Spencer W. Kimball, abril de 1976.)

Meu tema de hoje começa com uma pergunta: “O que pode ajudar você a sempre gerar um sinal claro, a ser um bom guia nas montanhas, e a ser uma luz para o mundo, como membro da Igreja?”

A resposta, não uma resposta, mas a única resposta correta, a rocha sobre a qual posso edificar minha força como membro da Igreja de Jesus Cristo, é: as escrituras — antigas e modernas — que nos são dadas por profetas e apóstolos — antigos e modernos.

Escrituras: o que são? O que significam para mim? O que devo fazer com elas, e por que devo aceitálas? Essas são perguntas comuns feitas por diversos pesquisadores.

Quanto a mim, sou converso à Igreja. Só um fato me converteu. Claro, eu gostava muito da Palavra de Sabedoria, achava que era um bom princípio; também preferia a bênção do sacramento, se comparada ao que tínhamos na nossa antiga religião. Sentia-me atraído pelo princípio do casamento eterno. Mas, a despeito de todas essas preferências, não fui batizado.

Repito, um fato, um fato extraordinário modificou minha mente, meu coração e minha alma: as escrituras. Quais escrituras? O Livro de Mórmon.

Todos os princípios que mencionei tornaram-se repentinamente verdadeiros, porque o Livro de Mórmon era verdadeiro. E se o Livro de Mórmon era verdadeiro, Joseph Smith teve mesmo uma visão. E se ele teve uma visão, havia uma fonte de onde ele recebeu as placas. Essa fonte lhe deu poder para traduzir. Se Joseph Smith recebeu revelações -— revelações modernas, fundamentadas nas escrituras — ele era um profeta. E se ele era um profeta, então com toda a certeza e lógica, a igreja que ele restaurou era uma igreja divina.

Para alguém se converter, precisa sentir o Espírito do Senhor. Antes de se converter, contudo, precisa fazer algo por si mesmo. Precisa edificar um testemunho e apresentá-lo diante do Senhor. Um testemunho de quê?

1. De que Jesus Cristo, o Filho de Deus, é nosso Salvador e Redentor;
2. De que Joseph Smith é um profeta;
3. De que a Igreja é divina;

Isso constitui a mensagem da Restauração do evangelho. Isso é o que declaramos às outras pessoas. Isso é positivo. Isso é um fato. Isso é comprovado. Os céticos dirão a vocês que não é possível comprovar a veracidade de uma religião. Sinto muitíssimo desapontar essas pessoas, mas verdadeiramente e praticamente, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias apresenta a prova de que o Livro de Mórmon é verdadeiro e de que o Livro de Mórmon prova que Jesus é o Cristo, que Joseph Smith é um profeta, e que esta Igreja é divina.

Agora, sei por mim mesmo que é assim; testifico por mim mesmo a vocês que isso é verdade. Minha vida mudou devido a esse conhecimento, mas o conhecimento, por si só, não é o bastante. Minha vida continuaria mudando, se fosse um conhecimento adquirido de uma única vez, em apenas um momento? Nosso desafio, como membros, é: primeiro, saber por nós mesmos que a mensagem da Restauração é verdadeira e, segundo, prestar testemunho aos outros de que essa mensagem é verdadeira.

Como saber isso? Falei há pouco sobre a fonte do meu conhecimento, o Livro de Mórmon — as escrituras.

“Em todas as dispensações, homens santos foram ensinados e instruídos do alto a respeito do evangelho de Jesus Cristo. Esses ensinamentos e instruções foram preservados nas escrituras, para que todos pudessem aprender a Quem deviam adorar, como deviam adorar e como deviam viver para realizar o propósito da vida e, assim, receber a recompensa prometida” (Élder Marion G. Romney, Segundo Conselheiro na Primeira Presidência).

Como saberei por mim mesmo que as escrituras são essenciais em minha vida? O Presidente David O. McKay, outro profeta, disse: “Uma vez missionário, sempre missionário”. Parafraseando-o, eu lhes digo: “Uma vez membro, sempre membro”.

Jesus ensinou-nos o valor das escrituras: “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam” (João 5:39).

Agora, que você sabem o valor e a importância das escrituras, o que farão com esse conhecimento? As escrituras vão ajudá-los a ir do conhecimento para a ação? As escrituras vão-se transformar em uma real motivação em sua vida?

Para estarem motivados, ou, em outras palavras, para agirem com base nas escrituras, certas coisas precisam ser feitas. Por exemplo:

1. Precisamos ler as escrituras;
2. Precisamos buscar as escrituras;
3. Precisamos viver pelas escrituras, pois elas são o meio de nos prepararmos para encontrar nosso Pai Celestial.

Nessa última conferência geral, o Élder Marcus A. Aidukaitis contou a história de seu pai, cujo título é “Porque Ele Leu o Livro de Mórmon”. Por que seu pai foi batizado? A resposta é simples, diz o Élder Aidukaitis: “Porque meu pai leu o Livro de Mórmon. Ao fazer isso, soube que a mensagem da Restauração era verdadeira. O Livro de Mórmon é uma prova de que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é verdadeira”.

Aos que diriam que não há quem possa saber dessas coisas, ele disse: “Testifico que é possível, se formos humildes o bastante para fazer o que Deus, por meio de Seus profetas na Terra, disse que fizéssemos.”

Sou grato pelos missionários que um dia vieram bater à porta de minha casa e que testificaram a respeito da verdade, pois haviam lido e examinado minuciosamente as escrituras; mas acima de tudo, por viverem seus ensinamentos. Oro para que o Senhor os abençoe e os ajude a viver pelo mesmo testemunho.

As escrituras antigas, assim como as modernas, ajudarão vocês a desenvolver e preservar sua identidade genética como filhos de nosso Pai Celestial. No mundo de hoje, há tentativas cada vez mais freqüentes de despojar-nos de nossa identidade física e também espiritual. Por isso, não podemos ser membros superficiais. Nosso testemunho acerca de Jesus Cristo e de Sua Igreja deve estar firmemente edificado sobre o fundamento das escrituras, para que “uma vez membros, possamos continuar sempre sendo membros”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário