terça-feira, 18 de outubro de 2011

Os Elementos Reuniram-se Para Ensinar-me uma Lição

Márcio Antônio
Membro da Ala Alvorada/RS

Como pode a neblina esconder todas as belezas da natureza sem me avisar? e tão rápido ao ponto de me assustar?


No periodo de minhas férias do trabalho, comecei como de costume a entregar-me a alguns entretenimentos domésticos, como assistir filmes até tarde da noite no dvd, dormir mais do que o necessário no dia seguinte... e aos poucos fui perdendo o controle de minhas atividades. Muitos no trabalho diziam me para descansar bastante, pois logo acabariam as férias e eu teria que voltar para a correria do dia a dia. Tudo bem... pensei, nos primeiros dez dias foi uma maravilha, acordava tarde, dormia tarde, comia mau e sem horario definido, comecei a ganhar peso, tentava ficar acordado o máximo de horas do dia que antecedeu a noite em claro e cada vez mais sentia sobre os ombros o peso da desobediência. Estava literalmente quebrando um mandamento vindo diretamente de Deus para a manutenção física, mas isso nem me passava pela cabeça.

No décimo Quinto dia de férias, mais uma vez não consegui dormir e sai de casa bem cedo para caminhar ao sol, fazer alguns exercicios com uma ideia inconsciente de desintoxixação alimentar. Sentei aos pés de uma palmeira que ficava na parte mais alta de meu bairro, um local em que era possível enxergar todo o vale que se apresenta aos pés do Morro Santana, para quem é de Porto Alegre, o conhece, pois é o mais elevado da região metropolitana. Estava observando o verde intenso dos campos, os passaros de variadas espécies que cantavam perto, voavam a minha frente e o azul intenso do céu. O sol da primavera tornavam as cores mais brilhantes e vibrantes num verdadeiro espetáculo da natureza. Embora cansado e com os olhos ardendo de sono, consegui até a agradecer a Deus poraquele belo dia. O Pai fez sua Parte nos dando este presente, mas será que eu estava fazendo? Esta pergunta não encontrou uma resposta afirmativa em minha consciencia, mas mesmo assim, contemplava aquele belo amanhecer.

Em um determinado momento, em meio a minha meditação, percebi ao longe, bem acima do cume do morro, uma barreira de neblina que começava a avançar lentamente sobre os campos banhados de sol, de um branco intenso pela radiação, foi ficando acinzentado com o aumento de sua intensidade. Perdi completamente a visão dos 100 metros, dos 50, dos 10... até que fui envolvido pela forte cerração. Do cinza veio a escuridão, a camada de nevoeiro foi se intensificando até ao ponto do breu total. Fiquei alí, quieto, não me atrevendo nem mesmo pensar. A escuridão provocada pela neblina espessa era medonha, quase sufocante, senti até um leve cheiro de temporal se aproximando, mas este não veio. O sol desapareceu as 9:45 da manhã.

Como pode a neblina esconder todas as belezas da natureza sem me avisar? e tão rápido ao ponto de assustar?

Enfim consegui compreender e aprender uma lição: A neblina representava, naquele momento, o pecado de quebrar a Palavra de sabedoria, que me impedia de vislumbrar a beleza da vida. Esta elucidação veio naquele momento mesmo em que esta na escuridão

Quando comecei a raciocinar, tudo ficou claro para mim. A Palavra de sabedoria não se restringe apenas no que está registrado nas escrituras sagradas ou nas revelações modernas, mas sim, está também relacionado ao estilo de vida que adotamos, se for saudavel, a vida será bela, pois o dom vem pelo esforço e merecimento, se não for, as intensas neblinas te impediram de ver as bençãos que tornam a vida um espetáculo da existência. Deus está sempre conosco e as ferramentas do sucesso estão ao nosso alcance, basta fazer como o Mestre, que pela plena certeza e conhecimento de Deus, recolheu os elementos do ambiente e os juntou a água para fazer o melhor dos vinhos.

Quando a neblina daquele dia desapareceu, o sol voltou a brilhar como antes. Ao retornar para casa totalmente revigorado pelo que aprendi, ouvi algumas pessoas na rua comentarem que na direção de onde eu vinha, tinha ido um bandido armado em fuga. Pela rua indicada, pude perceber que o meliante tinha passado a uns 10 metros de mim... Mais uma vez agradeci ao Pai pela união dos elementos que me ensinaram e me protegeram, pois se o dia estivesse claro, o bandido teria me visto.

Esta história marcante, Eu compartilho em Nome de Jesus Cristo, Amém

Nenhum comentário:

Postar um comentário